• EN
  • 03 de julho de 2019

    Redação Inhotim


    artebrumadinhocomunidadeeducaçãoprogramação cultural

    Leitura: 4 min

    Instrumento, voz e educação: conheça a Escola de Música Inhotim

    Instrumento, voz e educação: conheça a Escola de Música Inhotim

    A música sempre esteve presente no Inhotim, seja nas obras de arte ou nos shows e festivais que acontecem por aqui. Mas é nos nossos projetos educativos que ela acontece, desde 2007, de forma contínua e multiplicadora, fazendo desse formato artístico um importante instrumento de transformação social. A Escola de Música Inhotim abrange três projetos que proporcionam uma formação musical gratuita a moradores da região de Brumadinho. São eles: Escola de Cordas, Experimentos Musicais e Vozes e Canto. No total, as turmas contam com 135 alunos. Viemos te contar um pouco mais sobre eles.

    Na Escola de Cordas, 80 jovens de 10 a 18 anos de idade aprendem instrumentos sinfônicos como violino, violoncelo, viola e contrabaixo acústico. Os participantes são prioritariamente estudantes da rede pública de ensino e residentes de Brumadinho e municípios ao redor.

    Durante os encontros, que acontecem de terça a sexta, os jovens participam de formações práticas e teóricas, além do estudo autônomo, que acontece uma vez por semana. Os instrumentos oferecidos durante as aulas também são disponibilizados para que os jovens levem para casa, tendo a chance de exercitar a leitura de partitura e a prática instrumental em seus ambientes familiares.

    “Incentivamos, sempre, o envolvimento de toda a família nessa formação. Não só convidando pais e mães a estarem por perto, nas apresentações, formaturas e eventos especiais, mas também informando sobre tudo que acontece por aqui, mostrando a importância desse projeto na vida dessas pessoas”, explica Ângela Campos, supervisora da Escola de Música. O resultado do trabalho realizado há tantos anos é visto nas recompensas diversas. “Já colecionamos momentos memoráveis, como o dia em que o grupo se apresentou no palco do Magic Square pela primeira vez, ou como o ano em que três dos nossos jovens foram aprovados na universidade pública para cursar música”, relembra.

    O sucesso da formação de alunos jovens acabou criando outra demanda vinda da própria comunidade de Brumadinho: as aulas destinadas às crianças. Dessa forma, surgiu a turma dos Experimentos Musicais, com dinâmica de aulas que acontecem uma vez por semana – nas terças-feiras -, voltadas para o público infantil – de 8 a 10 anos. Por lá, o grupo tem os primeiros contatos com a música e atividades de iniciação musical. Os encontros buscam trabalhar conteúdos teóricos, iniciação da leitura de partitura, mas, principalmente, percepção sonora. Para isso, diferentes instrumentos são utilizados, como tambor, flauta doce e pandeiro. “O canto também é um elemento forte nessas aulas, porque as crianças, ao terem contato com tantos instrumentos, naturalmente começam a cantar”, explica Ângela.

    Já as aulas de Vozes e Canto são realizadas aos sábados, com a participação de 35 alunos com mais de 18 anos. Alguns já têm experiência em canto em corais e agregam essa vivência ao repertório de músicas populares. A maior parte dos inscritos nessa turma é de pessoas da terceira idade. “O repertório dessas aulas é todo escolhido pelo próprio grupo, porque queremos resgatar a memória dessas pessoas”, conta Ângela.

    Frequentemente, as turmas da Escola de Música fazem apresentações e aulas abertas. Confira a nossa programação e participe: inhot.im/programacao.

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    05 de junho de 2019

    Redação Inhotim


    artebotânicabrumadinhocomunidademeio ambienteprogramação cultural

    Leitura: 5 min

    Dia Mundial do Meio Ambiente no Inhotim: de sementes a florestas

    Dia Mundial do Meio Ambiente no Inhotim: de sementes a florestas

    O ano era 1972 e, a cidade, Estocolmo. Em uma Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), a agenda ambiental conquistou sua data comemorativa mais importante, o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado 5 de junho. Mais do que uma simples celebração, o dia foi criado para ser uma plataforma que encoraje indivíduos e instituições a refletirem sobre a saúde do meio que integram e a agirem em favor da construção de sociedades mais sustentáveis.

    A recomposição da biodiversidade local é uma das metas do processo de restauração de ecossistemas, e uma das principais formas de alcançá-la, considerando as espécies nativas e a diversidade genética, é por meio do trabalho com sementes. A restauração de ecossistemas é uma discussão contemporânea e que passa pelo sequestro de carbono e pela valorização dos serviços ambientais prestados pelas plantas e por polinizadores. Sua importância foi atestada no último mês de março, quando a ONU declarou que a próxima década (2021 – 2030) será considerada a Década da Restauração de Ecossistemas. De acordo com a Organização, investir na restauração é parte do caminho para o cumprimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, principalmente aqueles ligados à mudança do clima, à proteção da água e à conservação da biodiversidade.

    ‘Sensibilizar’ e ‘participar’ devem ser palavras de ordem nas grandes instituições com forte atuação na área ambiental, como o Instituto Inhotim. No encontro simbiótico de jardins e obras de arte, formam-se espaços poderosos de experimentação que estimulam outras perspectivas. Celebrar o Dia do Meio Ambiente nesses locais é uma grande oportunidade de estimular novas percepções sobre o equilíbrio dinâmico que existe no meio ambiente e a nossa importância como agentes capazes de moldá-lo. No Instituto, a data é celebrada com uma semana inteira de programações especiais.

    Neste ano, sob o tema “De sementes a florestas”, a 15ª Semana do Meio Ambiente mostra as vocações do Jardim Botânico na realização de trabalhos que envolvem conservação da biodiversidade, tecnologias com sementes e restauração de florestas. Por aqui, essas vocações se revelam de diferentes formas. Pela transformação de uma área com histórico de degradação por mineração e fazendas em jardins que reúnem aproximadamente 5 mil espécies, tipos e variedades de plantas. Pela manutenção de indivíduos de espécies de plantas nativas, raras e ameaçadas. Pela criação de uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), unidade de conservação que protege várias espécies locais de plantas, animais, fungos e outros organismos. Pelo investimento em pesquisa científica, como a que permitiu a criação de um laboratório de botânica e um banco de sementes que geram conhecimentos sobre recuperação de áreas degradadas. Esse conjunto de operações demonstra como o Instituto pode ser um agente importante na recuperação de Brumadinho, após a tragédia de Córrego do Feijão, em janeiro.

    O assunto ‘sementes e florestas’ também se alinha ao tema proposto pela ONU em 2019, que é a poluição do ar. Um dos serviços ecológicos prestados pelas florestas é justamente o sequestro de carbono. Por causa dessa capacidade de remover carbono do ar, investir na restauração de florestas é uma forma inteligente de obter um ar mais limpo e mitigar os efeitos da mudança do clima.

    *Esse texto foi escrito por Sabrina Carmo, coordenadora do Jardim Botânico Inhotim

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    03 de junho de 2019

    Redação Inhotim


    comunidadeeducaçãoinhotimmeio ambienteprogramação culturalvisita

    Leitura: 8 min

    Semana do Meio Ambiente no Inhotim aborda Restauração de Florestas

    Semana do Meio Ambiente no Inhotim aborda Restauração de Florestas

    O Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado no dia 5 de junho e, a cada ano, o Inhotim promove uma série de atividades educativas para sensibilizar a sociedade quanto às questões ambientais. Em 2019, o Instituto evidencia sua vocação como agente de recuperação ambiental local, com conhecimentos que colaboram com a restauração de áreas impactadas pela mineração e com a conservação de espécies botânicas.

    O tema da 15ª Semana do Meio Ambiente Inhotim, que acontece entre 4 e 9 de junho, é “De sementes a florestas”. O objetivo é debater a importância das sementes na restauração de florestas por meio do acervo botânico. Durante este período, o público poderá ter acesso aos bastidores de produção e pesquisa do Jardim Botânico Inhotim (JBI).

    Além da área de visitação de 133 hectares, o Inhotim conta com uma Reserva Particular do Patrimônio Natural Inhotim (RPPN) de aproximadamente 250 hectares, inserida na bacia hidrográfica do Rio Paraopeba e em uma área de transição entre a Mata Atlântica e o Cerrado.

    “O JBI guarda um acervo impressionante de espécies nativas e exóticas, possui uma área de mata protegida que funciona como uma importante fonte de sementes e realiza um trabalho consistente de germinação e produção de mudas”, ressalta a coordenadora do Jardim Botânico, Sabrina Carmo.

    O Inhotim mantém, propaga e propicia estudos com um acervo de aproximadamente 5 mil espécies, representando mais de 28% das famílias botânicas conhecidas no planeta. A ênfase do trabalho do JBI é a transformação de paisagens, dispondo espécies de forma a criar espaços dedicados ao lazer, à educação e à pesquisa.

    Além dos jardins, a estrutura do JBI conta com Laboratório de Botânica, estufas, viveiros, sombrites, horto e outros recursos. A gestão de recursos hídricos, efluentes, energia, resíduos e fauna também são áreas de atuação permanente do JBI.

    Confira a programação completa da Semana do Meio Ambiente Inhotim:

    4 e 5/06 – Conversa com especialista: conhecendo as abelhas nativas
    Para produzir sementes, a maior parte das plantas depende da ação de animais polinizadores. Bons exemplos são as abelhas sem ferrão, espécies nativas que permitem a reprodução de um impressionante número de plantas. Em uma conversa com especialistas no cultivo de abelhas meliponas, os participantes terão a oportunidade de conhecer diferentes espécies e refletir sobre a importância delas para a conservação da flora nativa.

    Quando: 4 e 5 de junho (terça e quarta), às 14h
    Local: Largo das Orquídeas (J7 no mapa)
    Observação: 25 vagas. Inscrições no local da atividade, a partir de 13h45.

    5/06 – Visita Temática Especial: experiências em família nos jardins do Inhotim
    Os acervos do Inhotim são capazes de despertar o interesse das crianças e seus familiares e conduzir a uma experiência lúdico-pedagógica. A visita trará a mediação como despertar para a criatividade infantil e envolvimento da família, além de utilizar a manipulação de objetos para uma experiência multissensorial.

    Quando: 5 de junho (quarta), às 10h30.
    Local: saída da Recepção
    Observação: 25 vagas, inscrição no local a partir de 10h15.

    5/06 – Oficina de cultivo de ipê-branco
    O Educativo prepara uma oficina especial de cultivo de mudas de ipê-branco (Handroanthus roseo-alba). A árvore é nativa do Cerrado, da Mata Atlântica e da Caatinga.

    Quando: 5 de junho (quarta), às 14h
    Local: Tamboril (B1 no mapa)
    Observação: 25 vagas, inscrição no local.

    5 a 26/06 – Mostra de sementes na Estação Educativa Itinerante
    Você já ouviu falar de sementes aladas? Para conhecer esse e vários outros tipos, visite a Estação Educativa Itinerante, que exibe uma seleção especial de sementes. A mostra é composta por espécies encontradas na RPPN e na área de visitação do Instituto. Aproveite para conhecer a importância das sementes para estudos de restauração ecológica.

    Quando: 5 a 26 de junho (quartas), das 10 às 16h
    Local: Tamboril (B1 no mapa)

    8/06 – Visita mediada pelo agrônomo Juliano Borin – Nos jardins do Inhotim, uma conversa sobre sementes e florestas
    Uma floresta é uma rede viva de interações. Nela, sementes e animais polinizadores desempenham funções espetaculares, que os admiradores da natureza poderão conhecer de forma mais profunda em uma visita com o engenheiro agrônomo do Inhotim, Juliano Borin. O convite é à experimentação dos jardins do Instituto de maneira exclusiva, percorrendo também espaços que não são abertos à visitação livre, como o epifitário e a estufa equatorial.

    Quando: 8 de junho (sábado), das 14h às 16h30
    Local: saída da Recepção
    Observação: 25 vagas. Inscrição prévia na Recepção, no dia da atividade, entre 9h30 e 14h.

    8/06 – Piquenique com o Educativo Inhotim
    A alimentação em família fortalece as relações afetivas, ativa memórias e estimula diálogos. Venha passar o sábado no Inhotim e participar da primeira edição do piquenique em família. O evento contará com oficinas educativas inspiradas nas propostas da artista e educadora Carolina Velásquez e seus “Fabulosos” (seres imaginários que envolvem elementos humanos, animais fantasiosos) e contação de histórias presentes no imaginário coletivo e que integram as obras dos acervos artístico e botânico do Inhotim. Os Fabulosos vão convidar as famílias a se envolverem num delicioso mundo de criação, brincadeiras e exercícios coletivos de dança, movimento e improvisação. Venha conhecer novas maneiras de estar e de se movimentar no Inhotim.

    Quando: 8 de junho (sábado)
    Piquenique: das 12h às 12h45
    Oficina educativa: 12h45 às 14h
    Local: Galeria Marilá Dardot (G17 no mapa)

    Observação: Os alimentos do piquenique devem ser adquiridos no local. Não é permitido entrar com alimentos no Inhotim. Consulte valores e realize as inscrições com a Belvitur, agência de turismo oficial do Inhotim: inhotim@belvitur.com.br / (31) 3290-9180.

    8 a 30/06 – Visita Temática: De sementes a florestas
    Durante a Semana do Meio Ambiente, a Visita Temática convida o público a conhecer a importância das sementes para a formação das florestas, com destaque para as espécies nativas. Algumas delas estão protegidas na RPPN Inhotim e também presentes na área de visitação do Instituto.

    Quando: 8 a 30 de junho (quartas, sábados, domingos e feriados), às 10h30
    Local: saída da Recepção
    Observação: 25 vagas, inscrição no local a partir de 10h15.

    Compre seu ingresso online e confirme presença na nossa Semana do Meio Ambiente! 

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    11 de abril de 2019

    Redação Inhotim


    artebrumadinhocomunidadeeducaçãoinhotiminhotim; brumadinho; nosso inhotim; visitaprogramação culturalvisita

    Leitura: 5 min

    Nosso Inhotim dá entrada gratuita a quem mora em Brumadinho; cadastros começam nesta sexta (12)

    Nosso Inhotim dá entrada gratuita a quem mora em Brumadinho; cadastros começam nesta sexta (12)

    A primeira ação de cadastro do Nosso Inhotim em Brumadinho acontece nesta sexta-feira (12/4) e neste sábado (13/4), das 10h às 14h, na Rodoviária da cidade. O programa, que existia desde 2014 concedendo meia-entrada a quem comprovasse residência na cidade, agora se amplia, dando aos inscritos entrada gratuita em qualquer dia de visitação e 50% de desconto nos eventos realizados no Parque.

    A ação dá início à agenda de 2019 do Instituto, convidando todos e todas a estarem presentes no Inhotim e em Brumadinho, nossa maneira de trazer novas memórias à região.

    Antecipamos algumas dúvidas que possam surgir sobre o cadastramento:

    – Como vai funcionar o cadastro para o Nosso Inhotim?
    Nossas equipes estarão nesta sexta (12/4) e neste sábado (13/4) na Praça da Rodoviária, em Brumadinho fazendo os cadastros. É necessário que as pessoas levem um xerox do comprovante de residência e o documento de identidade. Quem fizer a inscrição com a gente nesse primeiro encontro, poderá entrar gratuitamente no Inhotim a partir da próxima sexta, no feriado da Semana Santa.  O nome dela estará em uma lista que deixaremos na Recepção.

    -Tem problema alguém da família fazer o cadastro?
    Não, desde que seja um grau de parentesco próximo (pai, mãe, filhos ou irmãos). Nesse caso, é necessário que essa pessoa leve as cópias dos documentos de identidade – que confirmem esse parentesco – e de comprovação de residência.

    -Quem pode se cadastrar no programa?
    Podem se cadastrar moradores de Brumadinho, de todas as idades, mediante a comprovação da residência na cidade. Não faremos o cadastro de crianças de até 5 anos pois elas já não pagam a entrada.

    -O que o programa vai oferecer?
    Quem se cadastrar no programa vai ter entrada gratuita e desconto de 50% nos eventos organizados pelo Inhotim.

    -A entrada gratuita será permanente?
    O cadastro é válido por dois anos, quando será necessário fazer uma nova inscrição, comprovando a residência em Brumadinho uma outra vez.

    -Só será possível cadastrar dessa vez?
    Esta será somente a primeira ação de cadastramento. Estamos planejando estendê-las durante todo o ano. A próxima oportunidade já confirmada para quem não puder ir até a Rodoviária neste primeiro momento será nos dias 10 e 11 de maio, no mesmo local.

    -Quando a carteirinha ficará pronta?
    A previsão é de cerca de vinte dias após o cadastramento. Elas estarão disponíveis na recepção onde os donos poderão buscar, mediante a apresentação de um documento de identidade.

    -Assim que eu fizer meu cadastro já será possível utilizar o benefício?
    No caso desta primeira ação de cadastramento, as entradas para os inscritos estarão liberadas a partir da outra sexta (19/4). Em outras situações, as pessoas inscritas serão avisadas sobre o prazo para entrega no dia em que as inscrições serão feitas.

    -Vocês planejam outras ações para a cidade?
    Os cadastros do programa Nosso Inhotim representam o começo de uma agenda de programações culturais e educativas que têm como objetivo principal trazer a presença das pessoas para Brumadinho e para o Inhotim. O segundo evento especial já confirmado nessa agenda será o show do Lenine, marcado para sábado (27/4) e a apresentação da Orquestra da Maré no domingo (28/4). As pessoas inscritas no programa terão direito à meia-entrada no dia do show (compre seu ingresso clicando aqui), e à entrada livre no dia da orquestra.

    Esperamos pelos moradores e moradoras de Brumadinho durante todo o ano!

    Confirme, inspire e espalhe sua presença por aqui!

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    05 de outubro de 2018

    Redação Inhotim


    artebotânicacomunidadeeducaçãoprogramação culturalvisita

    Leitura: 4 min

    Um dia de aula de expografia no museu-escola

    Um dia de aula de expografia no museu-escola

    Como é a nossa relação com as plantas, sobretudo, as medicinais? Como uma experiência multissensorial pode mudar nossa relação com a natureza? Para ajudar a responder essas questões e conscientizar sobre como podemos explorar os recursos naturais ao nosso redor de maneira sustentável, a artista australiana Janet Laurence realizou uma Residência Educativa no Inhotim, com os projetos Jovens Agentes Ambientais, Jovens Agentes, Laboratório Inhotim e Encontro Marcado.

    Por três dias, funcionárias e funcionários do Instituto, além de jovens integrantes desses projetos, tiveram contato com chás preparados com plantas cultivadas no Jardim de Todos os Sentidos. A elaboração da bebida foi feita de outra maneira: uma estrutura semelhante a de um laboratório, com balões, tubos de ensaio e um instrumento para aquecer água foram usados para a artista realizar, na entrada do Viveiro Educador, o Workshop Elixir, laboratório de expressão ecológica e sustentável que proporciona maior contato com plantas medicinais, aromáticas e comestíveis. Os participantes da Residência serviram para os colegas chás de vários sabores: hortelã, açaí da mata atlântica, alecrim e tomilho. “A grande lição desse dia é que devemos aproveitar mais a natureza, fazer mais experimentos com elementos naturais e experimentar novos sabores. Acho que esse workshop poderia ser feito com legumes, frutas e verduras”, contou a jovem Yasmin Pâmela, que participa da turma do Laboratório Inhotim de 2018.

    Para Ana Carolina Sales, bolsista de iniciação científica no Laboratório Inhotim, a Residência vai auxiliar na pesquisa que realiza no projeto. “A Janet nos ensinou outra maneira de fazer chás. Achei interessante porque isso está relacionado ao objeto do meu estudo, que é patrimônio imaterial. Estou coletando receitas de chás elaboradas na minha família para fazer aqui no Inhotim. Penso em analisar o uso medicinal dessas bebidas. O Workshop Elixir pode me ajudar no preparo das bebidas”.

    Pela primeira vez, Laurence realizou a atividade com adolescentes. “Gostei da experiência porque todos participaram e se divertiram. O Inhotim é um lugar incrível. Adorei essa união de natureza e arte. Obrigada por tudo”, afirmou a artista, emocionada.

    A supervisora de educação Júlia Torres conta que, durante a estadia de Laurence em Brumadinho, a artista manifestou muita alegria e satisfação por realizar o trabalho com adolescentes. “O objetivo do Workshop Elixir é sensibilizar as pessoas no uso dos recursos naturais de maneira sustentável, fazendo-as repensar a relação com a natureza. Para a artista, as ações educativas fazem a diferença em um espaço como um museu, pois proporciona difundir conhecimento para além dos limites de uma Instituição Cultural, algo que ela não teve em outros museus.”
    Janet Laurence é australiana e participou do IV Seminário Internacional de Educação, realizado nos dias 13, 14 e 15 de setembro.

    Educativo Inhotim

    *O projeto Jovens Agentes tem o patrocínio da Vale e da Aliança Geração de Energia, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Já o projeto Laboratório Inhotim conta com o patrocínio da Vivo, também por meio da Lei de Incentivo à Cultura. 

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    Página 1 de 1312345...10...Última »