Leitura: 4 min

Inhotim recebe Fórum Brasileiro pelos Direitos Culturais

Inhotim recebe Fórum Brasileiro pelos Direitos Culturais

Na última quarta-feira (27/6), o Inhotim recebeu os participantes do segundo dia do Fórum Brasileiro pelos Direitos Culturais (FDBC). Aberto ao público e com a presença de integrantes de diversas instituições, o evento discutiu nos últimos dois dias sobre o atual cenário cultural e propôs trocas de experiências entre as mais de 180 instituições que participam do Fórum. O encontro contou com falas inspiradoras de pessoas como Valter Hugo Mãe, Flavio Renegado e Macaé Evaristo; e também com explanações sobre temáticas atuais, que trouxeram propostas e exemplos de atuação a serem compartilhados com o público.

A abertura, realizada na terça-feira na Fundação Clóvis Salgado, em Belo Horizonte, contou com a apresentação de vários casos de sucesso na área cultural. O primeiro dia foi uma oportunidade de dar voz a pessoas que estão à frente de instituições culturais públicas e privadas para evidenciar a forma como o setor atua e se organiza, valorizando a cultura como essência e constituição de uma nação. Também foi momento de debater o contexto político atual e os desafios para defender as leis de incentivo como importantes motores da cultura nacional.

No dia seguinte, o diretor-presidente do Inhotim, Antonio Grassi, deu início às atividades do Fórum no Inhotim, abrindo caminhos para a fala inspiradora da educadora Macaé Evaristo. O segundo dia teve como foco o debate de alternativas possíveis para Brumadinho no contexto pós-rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão. Como o próprio FDBC registrou em forma de manifesto (leia na íntegra aqui), “o poder da cultura e da arte é fundamental para garantir a sustentabilidade da região, preservar o ecossistema e impulsionar o turismo brasileiro, na busca do desenvolvimento econômico e social, para combater de maneira real e definitiva a desigualdade no Brasil, que nos assola e se amplia”.

Durante a tarde, os participantes do evento acompanharam uma visita mediada pelos acervos do Instituto, uma oportunidade de ver, na prática, as diversas formas de se abordar a cultura por meio da experiência.

Sobre o Fórum Brasileiro pelos Direitos Culturais:
Fundado em junho de 2016, é um movimento voluntário, suprapartidário, multissetorial e colaborativo, composto por 180 integrantes, entre instituições, empresas e gestores do setor cultural, distribuídos por todo o território nacional, que tem como objetivo fortalecer o segmento, refletir, articular, propor ações e políticas públicas, desenvolver caminhos de proteção à criação, à produção, à viabilização e proporcionar a democratização das artes e da cultura brasileira.

O FBDC promove encontros, periodicamente, com o objetivo de conhecer diagnósticos e pensar propostas que otimizem a produção cultural e dialoguem com os vários setores interessados, tanto público como privado. A programação é sempre gratuita e aberta ao público, mediante a inscrição simples.

comente

  • Twitter
  • Facebook
  • Google +