Leitura: 3 min

Esperança em forma de música: Orquestra da Maré se apresenta no Inhotim

Esperança em forma de música: Orquestra da Maré se apresenta no Inhotim

“A arte é um impulso. É essa mensagem que queremos passar para Brumadinho e para quem está no Inhotim”. Desse jeito, Carlos Eduardo Prazeres, fundador da Orquestra Maré do Amanhã, define a missão dos jovens e das crianças durante as apresentações do grupo na cidade e no Parque durante o próximo final de semana. No sábado (27/4), a orquestra faz show em Brumadinho durante o evento “A Arte Abraça Brumadinho”. Já no domingo, o palco será no Inhotim, aos pés do Tamboril, às 14h30.

Carlos fundou a orquestra no Complexo de Favelas da Maré em 2010, como forma de continuar o sonho do pai: ensinar música a crianças e adolescentes de comunidades vulneráveis. O maestro Armando Prazeres foi assassinado um ano antes depois de ter sido sequestrado no bairro Laranjeiras. O carro dele foi encontrado na região da comunidade onde hoje seu filho conduz o projeto que realiza sua vontade de levar oportunidade e cultura para 3500 jovens entre 4 e 18 anos. “Foi a minha forma de transformar dor em esperança”, relembra.

Hoje em dia, a Maré do Amanhã conta com a orquestra mirim e com a orquestra infanto-juvenil formando musicalmente jovens da comunidade. Durante este processo, talentos e vocações genuínas são identificados pelos professores e professoras. Esses alunos são convidados a integrar o  braço profissionalizante do projeto: a Camerata Jovem Maré do Amanhã.

Quem faz parte desse núcleo recebe uma bolsa mensal de um salário mínimo. “Já viajamos até para Roma, para tocar para o Papa. Agora é a vez de levar a nossa música para quem mora em Brumadinho, para os bombeiros que trabalham arduamente desde o rompimento da barragem do Córrego do Feijão, e para os visitantes do Inhotim. Da mesma forma que a música apazígua a vida desses jovens músicos que vivem na pele, diariamente, tantas formas de opressão, eu penso que também pode apaziguar quem está vivendo esse momento de dor e luto”, diz Carlos.

Durante a apresentação no Inhotim, a orquestra escolheu coletivamente um repertório diversificado. “Vai ter Asa Branca, vai ter Milton Nascimento, vai ter forró e até Michael Jackson”, adianta Carlos. O ingresso do show está incluído na entrada para o Inhotim, que custa R$ 44 (inteira). Para comprar o seu e confirmar sua presença, é só clicar aqui!



voltar
  • Twitter
  • Facebook
  • Google +