• EN
  • 19 de setembro de 2019

    Marcelo Martins


    Leitura: 6 min

    Movimento, pausa, Sombra e Água Fresca

    Movimento, pausa, Sombra e Água Fresca

    O deslocamento do corpo e das ideias é uma das principais propostas do Inhotim. Percorrer as galerias projetadas especialmente para o Instituto, renovar o olhar observando os jardins e se deparar com a materialidade das obras de arte e pessoas de vários locais do mundo, faz parte da experiência neste local único. Pensar no Inhotim como um local vivo, que está sempre em transformação, também é um dos cernes da experiência do visitante. Sob essa tônica, abriremos no dia 21 de setembro um novo espaço: o Jardim Sombra e Água Fresca -pensado como um jardim em processo.

    Território em transformação

    O jardim está conectado com a transformação do território em seu conceito: a área, que era um pasto, passou por um processo criativo de quase 10 anos, liderado pelo paisagista do Instituto, Pedro Nehring. Existem cerca de 700 espécies, entre plantas nativas e exóticas, com o objetivo de enriquecer a vegetação ciliar do curso d’água e criar novos espaços à sombra. Vando Silva, jardineiro do Inhotim, participou de perto da transformação do local. “Lembro-me de quando eu cortava grama nessa área. Hoje, já tem um caminho, um jardim bonito. Fico feliz por contribuir para este novo espaço do Instituto”, diz.

    INH_Gif_NovoJardim

    Quais plantas esse jardim tem?

    Para a sua concepção, o paisagista teve como orientação a mistura entre plantas nativas e exóticas para compor flora do Jardim Sombra e Água Fresca. Uma das principais famílias botânicas do Inhotim, as palmeiras, que tem como espécie integrante o Buriti (Mauritia flexuosa), por exemplo, compõem a nova paisagem. Plantas muito presentes na história e na cultura brasileira, como o jacarandá, o guanandi e a pitangueira estão entre cerca de 700 espécies presentes no novo espaço, com aproximadamente 32 mil m².

    O Jardim Sombra e Água Fresca também foi pensado para proporcionar experiências multissensoriais: mais de 80 espécies de plantas frutíferas vão compor a nova paisagem (imagine o cheiro do lugar!); será possível ouvir cantos de muitos passarinhos, como sabiá e trinca-ferro – que se alimentam dessas frutas – e o barulho da água que corre em um dos pontos extremos do jardim.

    FotoWilliamGomes

     

    Afinal, o que é etnobotânica?

    Ao longo do jardim, o visitante poderá reconhecer trinta plantas, que serão identificadas com placas, nas quais vão constar informações etnobotânicas, que nada mais é que a ciência que estuda a utilização das plantas pelas pessoas. Para o curador botânico Juliano Borin, as informações etnobotânicas são ferramentas estratégicas para a educação ambiental do público. “A pessoa terá consciência do uso da planta, da sua importância para o ecossistema e, assim, vai saber porque é importante preservá-la.”

    Por exemplo: você já ouviu falar sobre o Guanandi? Reconhecida como a primeira “madeira de lei” do Brasil, pode atingir até 20 metros de altura. Seus frutos são consumidos por vários animais, o que é útil em reflorestamentos.

    Na região central do jardim, o visitante poderá ainda se deparar com um imponente cedro. Obras do mestre Aleijadinho – expostas em cidades próximas a Brumadinho, como Congonhas, Ouro Preto e Sabará – foram produzidas com a madeira dessa árvore.

    Um último exemplo, só para aumentar a curiosidade com as outras 27 espécies que poderá desvendar nas trilhas do Jardim Sombra & Água Fresca, temos o pau-rosa, uma ótima opção para a arborização das cidades. Quando em floração, sua beleza se iguala ou supera a dos ipês.

    Mil caminhos até o Jardim Sombra e Água Fresca

    São muitos os caminhos que conduzem o visitante até o Jardim Sombra e Água Fresca. Pegue um carrinho no ponto de embarque da Rota 1, próximo à Galeria Praça; siga em direção ao Jardim Veredas, passando ao lado da Galeria Adriana Varejão. Ao desembarcar, o acesso para o jardim está ao lado da Galeria Cosmococa. Outra opção é, ao sair da Recepção, caminhe pela Alameda Central, vire à esquerda da árvore tamboril (B1 no mapa) e vire à direita, passando pela Galeria Fonte (G4). Depois de passar pelo Jardim Veredas (J5), o acesso ao novo espaço estará à sua direita. Confira no gif abaixo:

    INH_MapaNovoJardim_blogSite

    Ah! Não deixe de registrar fotos das plantas e dos animais do Jardim Sombra e Água Fresca, bem como da sua visita ao Inhotim. Compartilhe-as com a #sejapresença, #brumadinho, #minasgerais, #birdwatching, #birdwatchingbrasil, #jardimbotanico, #inhotiminstitute e #inhotim.

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    24 de abril de 2019

    Redação Inhotim


    Leitura: 2 min

    Lenine no Inhotim

    Lenine no Inhotim

    Itaú e Inhotim apresentam: Lenine em Trânsito.

    O cantor pernambucano Lenine retorna ao Inhotim no dia 27 de abril (sábado) para uma tarde de muita música e histórias com a turnê “Lenine em Trânsito”, que traz grandes sucessos dos seus mais de 30 anos de carreira e canções inéditas. O show é patrocinado pelo Itaú e faz parte da programação cultural e educativa de 2019 do Inhotim, que busca ajudar na recuperação de Brumadinho ocupando o Instituto com uma agenda especial e ressignificando a região. Essa agenda é o nosso convite para que as pessoas se aproximem e vivam experiências que possibilitem transformar e serem transformadas. Confirme presença.

    Observação: O ingresso para o show dá direito à entrada no Inhotim. Aproveite para visitar galerias, obras e jardins das 9h30 às 17h30. O show inicia às 15h.

    Confira quem tem direito a meia-entrada:

    — Amigos do Inhotim
    – Crianças de 6 a 12 anos;
    – Idosos acima de 60 anos;
    – Pessoas com deficiência e seus acompanhantes;
    – Estudantes;
    – Professores das redes formais pública e privada de ensino;
    – Funcionários da Vale;
    – Clientes Fiat Club Premium mais um acompanhante;
    – Participante do Clube de Assinantes Estado de Minas mais um acompanhante;
    – ID Jovem;
    – Moradores de Brumadinho participantes do programa Nosso Inhotim.

    Compre seu ingresso: inhot.im/leninenoinhotim

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    18 de abril de 2019

    Redação Inhotim


    Leitura: 4 min

    Inhotim para Todxs beneficia integrantes de programas sociais

    Inhotim para Todxs beneficia integrantes de programas sociais

    Representantes das secretarias de Saúde e de Desenvolvimento Social de Brumadinho, Mário Campos e Sarzedo oficializaram, nessa quarta-feira (17), suas participações no programa Inhotim para Todxs. O projeto socioeducativo permite o acesso de integrantes de programas sociais, associações e grupos comunitários aos acervos e espaços do Instituto, com isenção da entrada no Parque. Mais de 94 mil pessoas já foram beneficiadas pela iniciativa, desenvolvida desde 2011.

    Para os três municípios citados, além da gratuidade e do acolhimento, os grupos têm transporte gratuito de ida e volta ao espaço. São atendidas instituições públicas e de organizações da sociedade civil, como Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAEs), Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e Organizações Não Governamentais (ONGs).

    Em 2018, foram realizados mais de 11 mil atendimentos de 99 cidades de Minas Gerais, a maioria da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), além de Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP).

    Para 2019, a meta é potencializar esse acolhimento. Segundo a diretora executiva do Instituto Inhotim, Renata Bittencourt, o projeto reforça o caráter inclusivo da Instituição. “O programa potencializa o alcance dos relacionamentos do Inhotim, trazendo um público com perfil diversificado. Por meio do acolhimento especializado da equipe Educativa, crianças, jovens, idosos e demais participantes podem desfrutar da beleza do nosso Jardim Botânico e se relacionar com as obras”, comenta.

    Além da democratização do acesso ao Instituto, o Inhotim para Todxs contribui com o repertório cultural desse público. “O trabalho é bem mais amplo do que a adequação de espaços físicos. É o debate da acessibilidade de forma mais completa e plena, aumentando a aproximação com a arte, a botânica e um bom conteúdo em geral”, observa Lidiane Arantes, supervisora de Educação do Inhotim.

    Os agendamentos para o programa começaram nessa terça-feira (16) e podem ser feitos por quaisquer instituições públicas e organizações da sociedade civil, por meio dos contatos: 3571-9733 e inhotimparatodxs@inhotim.org.br.

    O Inhotim para Todxs tem o patrocínio do Instituto Unimed BH.

    Depoimentos

    “O projeto é de suma importância para a retomada da vida normal de Brumadinho, uma vez que nossos atendimentos, até então, estavam concentrados para a população mais atingida pelo rompimento da barragem”.

    Jane Mota, assistente social, representante da Secretaria de Desenvolvimento Social de Brumadinho.

    “O Inhotim para Todxs contribui para darmos mais oportunidades a quem não tem acesso à cultura”.

    Marcelina Maria Campos França, secretária de Desenvolvimento Social de Mário Campos.

    “O impacto desse projeto é muito positivo para nossa cidade. Ter um local maravilhoso como o Inhotim e próximo a nós é muito importante. É mais do que lazer, é cultura”.

    Adílio Gonçalves de Oliveira, assistente social, representante da Secretaria de Desenvolvimento Social de Sarzedo.

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    10 de abril de 2019

    Redação Inhotim


    Leitura: 4 min

    Inhotim busca novos olhares com mudança na diretoria

    Inhotim busca novos olhares com mudança na diretoria

    Antonio Grassi assume o cargo de diretor-presidente e Renata Bittencourt, experiente gestora cultural, a Diretoria Executiva

    A mudança na diretoria do Instituto busca aprimorar a gestão para o desenvolvimento de projetos ainda mais relevantes no contexto atual, além de ampliar o papel do Inhotim como interlocutor cultural. Renata Bittencourt, ex-diretora do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), assume o cargo de diretora executiva do Inhotim. Com vasta experiência profissional e acadêmica nas áreas de arte, educação e cultura, Renata chega para agregar um novo olhar aos trabalhos do Instituto e somar esforços na recuperação da cidade.

    Antonio Grassi assume o cargo de diretor-presidente. Na Instituição desde 2012, ele assina a programação cultural e é responsável pelas relações institucionais do Inhotim. “Além de principal indutor do turismo de Brumadinho, o Instituto tem um papel importante na consolidação e divulgação da arte, cultura e ecologia, tanto no Brasil quanto no mundo. Buscamos sempre aprimorar nossos processos, tendo em mente a promoção do desenvolvimento humano e a construção do pensamento crítico de jovens, estudantes, cidadãos, cidadãs e os mais diversos públicos”, ressalta Grassi.

    Renata é doutora em História da Arte pela Universidade Estadual de Campinas e trabalhou em diversas instituições culturais que são referências no país. No Ibram, atuou como diretora de Processos Museais. Foi também secretária da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, responsável pela gestão da Unidade de Formação Cultural da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo e gerente do Núcleo de Educação do Itaú Cultural por dez anos. Durante sua vida acadêmica, pesquisou temas como a representação do homem negro e da mulher negra na pintura do século XIX.

    A gestora cultural é de São Paulo e planeja desenvolver um trabalho de reconexão do Inhotim com a comunidade, mostrando aos visitantes que a arte pode – e deve – ser concebida de forma sustentável. “É imprescindível enxergar a Instituição com um olhar voltado para o território local e também para a arte e a cultura numa escala global”, afirma Renata.

    Para a diretora, apesar de desafiador, o contexto atual – em que o município busca se reerguer após o rompimento da barragem do Córrego do Feijão – é uma oportunidade para o Inhotim reforçar seus vínculos com a cidade de Brumadinho. O Instituto possui cerca de 600 funcionários, entre diretos e indiretos; 80% são moradores da região.

    “Em um país onde os obstáculos parecem intransponíveis, o Inhotim se estabelece com essa vocação de ser único, forte e belo. É uma experiência única poder construir um trabalho em meio a um jardim botânico e a um acervo artístico que oferecem a públicos diversos uma experiência que eles não encontram em nenhum lugar. No Inhotim tem sempre algo novo para o olhar do visitante. Poder entender isso e contribuir com a expansão e a consolidação do Inhotim vai ser uma vivência muito rica”, completa.

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    27 de janeiro de 2019

    Redação Inhotim


    Barragem Mina do Feijãobrumadinhoinhotim

    Leitura: 3 min

    Nota oficial – 27/01/2019

    Nota oficial – 27/01/2019

    Em solidariedade à comunidade de Brumadinho e a todos os atingidos pelo rompimento da barragem da Mina do Feijão, o Instituto Inhotim informa que permanecerá fechado, por ora, até quinta-feira 31 de janeiro. A reabertura será nesta sexta, dia 1º de fevereiro.

    A Instituição está toda mobilizada para prestar assistência aos atingidos e aos nossos funcionários e funcionárias. Estamos em contato com os órgãos competentes para entender os impactos do desastre e traçarmos conjuntamente medidas para minimizar os danos.

    Brumadinho é a casa do Inhotim e de tantas outras vidas e histórias. Enquanto instituição cultural referência na região, que nasceu e se desenvolveu neste lugar, nos comprometemos a utilizar todos os nossos meios possíveis para apoiar na recuperação da cidade e na superação dessa grande tragédia que afeta a todos nós.

    Continuaremos utilizando nossos canais de comunicação para divulgarmos as informações oficiais que forem sendo disponibilizadas pelas autoridades locais.

    In solidarity with the community of Brumadinho and all those affected by the rupture of the Feijão Mine dam, Instituto Inhotim informs that it will remain closed, for now, until Thursday. Instituto inhotim will reopen on Friday (1/2)

    The Institution is fully mobilized to provide assistance to those affected and to its employees. We are in contact with the relevant agencies to understand the impacts of the disaster and to jointly design measures to minimize damages.

    Brumadinho is the home of Inhotim and of so many other lives and stories. As a cultural reference institution in the region, which was born and developed in this place, we commit ourselves to use all our possible means to support the recovery of the city and to overcome this great tragedy that affects us all.

    We will continue to use our communication channels to disseminate the official information that is being made available by the local authorities.

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    Página 1 de 1912345...10...Última »