• EN
  • 05 de outubro de 2018

    Redação Inhotim


    artebotânicacomunidadeeducaçãoprogramação culturalvisita

    Leitura: 4 min

    Um dia de aula de expografia no museu-escola

    Um dia de aula de expografia no museu-escola

    Como é a nossa relação com as plantas, sobretudo, as medicinais? Como uma experiência multissensorial pode mudar nossa relação com a natureza? Para ajudar a responder essas questões e conscientizar sobre como podemos explorar os recursos naturais ao nosso redor de maneira sustentável, a artista australiana Janet Laurence realizou uma Residência Educativa no Inhotim, com os projetos Jovens Agentes Ambientais, Jovens Agentes, Laboratório Inhotim e Encontro Marcado.

    Por três dias, funcionárias e funcionários do Instituto, além de jovens integrantes desses projetos, tiveram contato com chás preparados com plantas cultivadas no Jardim de Todos os Sentidos. A elaboração da bebida foi feita de outra maneira: uma estrutura semelhante a de um laboratório, com balões, tubos de ensaio e um instrumento para aquecer água foram usados para a artista realizar, na entrada do Viveiro Educador, o Workshop Elixir, laboratório de expressão ecológica e sustentável que proporciona maior contato com plantas medicinais, aromáticas e comestíveis. Os participantes da Residência serviram para os colegas chás de vários sabores: hortelã, açaí da mata atlântica, alecrim e tomilho. “A grande lição desse dia é que devemos aproveitar mais a natureza, fazer mais experimentos com elementos naturais e experimentar novos sabores. Acho que esse workshop poderia ser feito com legumes, frutas e verduras”, contou a jovem Yasmin Pâmela, que participa da turma do Laboratório Inhotim de 2018.

    Para Ana Carolina Sales, bolsista de iniciação científica no Laboratório Inhotim, a Residência vai auxiliar na pesquisa que realiza no projeto. “A Janet nos ensinou outra maneira de fazer chás. Achei interessante porque isso está relacionado ao objeto do meu estudo, que é patrimônio imaterial. Estou coletando receitas de chás elaboradas na minha família para fazer aqui no Inhotim. Penso em analisar o uso medicinal dessas bebidas. O Workshop Elixir pode me ajudar no preparo das bebidas”.

    Pela primeira vez, Laurence realizou a atividade com adolescentes. “Gostei da experiência porque todos participaram e se divertiram. O Inhotim é um lugar incrível. Adorei essa união de natureza e arte. Obrigada por tudo”, afirmou a artista, emocionada.

    A supervisora de educação Júlia Torres conta que, durante a estadia de Laurence em Brumadinho, a artista manifestou muita alegria e satisfação por realizar o trabalho com adolescentes. “O objetivo do Workshop Elixir é sensibilizar as pessoas no uso dos recursos naturais de maneira sustentável, fazendo-as repensar a relação com a natureza. Para a artista, as ações educativas fazem a diferença em um espaço como um museu, pois proporciona difundir conhecimento para além dos limites de uma Instituição Cultural, algo que ela não teve em outros museus.”
    Janet Laurence é australiana e participou do IV Seminário Internacional de Educação, realizado nos dias 13, 14 e 15 de setembro. Para mais informações sobre o Workshop Elixir, acesse o site da artista (em inglês).

    *Texto escrito por Marcelo Martins, Assessor de Imprensa do Inhotim. 

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    28 de setembro de 2018

    Redação Inhotim


    comunidadeeducaçãovisita

    Leitura: 4 min

    Libras: empatia e estudos para comunicar mais

    Libras: empatia e estudos para comunicar mais

    Há pouco mais de quatro meses, Selena, Fernanda e Marli, funcionárias da equipe de atendimento do Inhotim, chegaram das aulas de Pedagogia com a proposta de fazerem um grupo de estudos de Libras com a equipe de trabalho. A proposta foi abraçada pela coordenadora de atendimento do Inhotim, Sara Souza, que viu nessa ideia a oportunidade de melhorar a acessibilidade no Instituto. “Nós resolvemos, então, chamar a amiga surda de um dos nossos monitores para uma conversa, junto a um intérprete. O objetivo era entender de que forma poderíamos nos aproximar dos obstáculos enfrentados pela comunidade surda e, assim, partir para as aulas.”

    Dali em diante, um grupo de funcionários e funcionárias se reuniu para pensar em como seriam os formatos das aulas. “Conseguimos acesso a uma boa apostila e listamos uma série de videoaulas que poderiam nos dar um direcionamento. Decidimos, em conjunto, que cada um dos 20 integrantes do grupo de estudos seria responsável por um encontro”, explica Sara. Já os temas das aulas foram escolhidos de acordo com os assuntos que seriam mais abordados dentro do contexto do Inhotim, como cores, letras do alfabeto, pronomes, membros da família e saudações.

    Para Sara, uma decisão importante foi a de fazer dos encontros semanais um compromisso voluntário, só para quem realmente tivesse compromisso e interesse. “Avalio que isso foi fundamental, porque hoje, depois de quatro módulos concluídos, percebemos poucos registros de faltas. Também percebo essa atividade como um fator incentivador para o envolvimento da equipe em diversos outros temas aqui dentro. A partir do momento em que veem uma ideia que surgiu de três funcionárias se tornar realidade, conseguimos construir juntos e juntas outras metas possíveis.”

    Selena, funcionária do atendimento do Inhotim há quatro anos e uma das idealizadoras do grupo de estudos, acredita que essa experiência vá acrescentar em vários âmbitos de sua vida. “Como futura professora, eu vou precisar dominar a Libras para conversar com alunos e alunas surdos. No Inhotim, será extremamente necessário para acolher pessoas que se comunicam com Libras e mostrar todo o potencial do Parque para elas. E na vida pessoal, eu penso que isso só amplia as possibilidades de conhecer gente nova e entender o mundo de um jeito diferente.”

    Jogo Librário
    O grupo de estudos de Libras do Inhotim recebeu uma visita pra lá de especial nesta terça-feira (25/9): o projeto Jogo Librário, que desenvolve por meio de uma tecnologia social uma maneira de aprender Libras de forma divertida e interativa. Foi uma oportunidade de trocar muitas experiências, exercitar a empatia e pensar em formas de diversificar a acessibilidade no Inhotim. O jogo está participando de uma campanha de financiamento coletivo para conseguir ampliar a abordagem e fazer essa ideia chegar mais longe. Acesse para conhecer mais dessa história e colaborar para a campanha: www.catarse.me/librario.

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    16 de agosto de 2018

    Antonio Grassi


    artebotânicabrumadinhoeducaçãovisita

    Leitura: 6 min

    3 milhões de visitantes

    3 milhões de visitantes

    Quando o Inhotim abriu suas portas à visitação pública, em 2006, Brumadinho era um município pequeno, dedicado à mineração e à pecuária, sem qualquer traço de atividade turística em suas ruas empoeiradas de minério de ferro. Doze anos depois, a cidade ganhou um alfinete colorido no mapa de todo aquele que, no Brasil e no exterior, gosta de arte, de natureza e de viajar. Este agosto que começa agora trouxe um número capaz de traduzir toda essa transformação: 3 milhões. Este é o total de visitantes que estiveram em Brumadinho para conhecer as obras de arte e o jardim botânico do Inhotim.

    Este número carrega alguns significados nem sempre percebidos de imediato. Falo, por exemplo, do grande impacto da Instituição em toda a região de Brumadinho. Me refiro, ainda, à grande responsabilidade dos gestores do Instituto em manter vivos os sonhos e a sede de conhecimento das pessoas tocadas pela magia do Inhotim. Na última semana, colhemos boas notícias na área de governança e compliance, que contribuem efetivamente para a perenização do Inhotim. Já chego lá!

    Antes, é preciso entender melhor o universo do Inhotim. Para abrigar e alimentar tanta gente, dezenas de pousadas, hotéis e restaurantes pela cidade foram abertos nos últimos anos. Dos cerca de 600 funcionários diretos e indiretos do Museu, 90% são moradores da região e muitos jovens têm no Inhotim seu primeiro emprego. Por ano, são recebidas 50 mil pessoas da comunidade escolar, entre alunos e professores, com destaque para a rede pública de ensino da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

    Inhotim desenvolve trabalho de resgate histórico, preservação e desenvolvimento da cultura das comunidades do entorno; mantém uma escola de cordas com jovens da região; oferece formação para estudantes e professores a partir dos seus acervos artístico e botânico, e forma jovens protagonistas nas discussões contemporâneas.

    Seu modelo inovador e único, mesmo considerando os museus do mundo, transforma a visita às obras de arte em um encantador passeio por um imenso jardim com quase 5 mil espécies de plantas. É uma experiência que distancia o Inhotim dos museus urbanos e atrai turistas de todas as partes.

    Segundo pesquisa da Vox Populi, pouco mais da metade dos visitantes são de Minas Gerais, um terço de outros estados e mais de 10% de outros países – importante ressaltar que, durante a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, 20% dos visitantes eram estrangeiros.

    São 140 hectares que acolhem 23 grandes galerias – 19 permanentes e quatro temporárias – e outras 23 obras de grande escala distribuídas ao ar livre. Todas elas levando inquietação e reflexão sobre o mundo em que vivemos – traço característico da arte contemporânea. Aos 140 se somam outros 249 ha de uma RPPN (Reserva Particular de Patrimônio Natural). Pelos jardins, há espécies de todos os continentes, muitas delas raras e ameaçadas de extinção.

    Por tudo isso, o Instituto Inhotim compreende que sua perenização é um compromisso com toda essa gente que frequenta ou que deseja conhecer o lugar e os acervos lá distribuídos. E, é claro, que perenização passa por excelência de gestão e transparência, de forma a atrair empresas e entidades públicas e privadas interessadas em participar do esforço de manter abertas as portas do Inhotim.

    Por isso, com muita alegria, recebemos, na semana passada, o relatório das contas de 2017 das mãos de representantes da Ernst & Young, empresa internacional de auditoria. É o quinto ano consecutivo que elas são aprovadas sem ressalva. Desta vez, a boa notícia vem acompanhada de um plano de ação com 19 produtos e procedimentos para melhoria, modernização e fortalecimento do compliance da gestão do Inhotim, preparado pela consultoria Smart Gov.

    Dentre as propostas da Smart Gov, estão incluídos criação de Código de Ética e de Conduta do Instituto Inhotim, Comitê de Ética, Compliance Officer; incentivo à adoção de medidas de integridade entre parceiros de negócio; política anticorrupção; planejamento estratégico e governança corporativa; segurança da informação e transparência; avaliação de risco e melhoria contínua; responsabilidade social; e adesão ao Pacto Empresarial pela Integridade e contra a Corrupção.

    Todas essas medidas são fundamentais para a manutenção do Inhotim e têm o respaldo do Conselho de Administração. Certos de que estamos no caminho certo, agradecemos aos parceiros que nos ajudam a despertar a consciência crítica instigada pela arte contemporânea, aliada à sustentabilidade ambiental. E obrigado a cada um dos 3 milhões de visitantes que contribuíram para materializar esse sonho. Se depender da gente, os alfinetes coloridos não deixarão de se multiplicar.

    _

    Artigo publicado no jornal Estado de Minas.

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    30 de maio de 2018

    Redação Inhotim


    botânicaeducaçãoinhotimmeio ambientevisita

    Leitura: 13 min

    Plantas nativas do Inhotim são tema da Semana do Meio Ambiente

    Plantas nativas do Inhotim são tema da Semana do Meio Ambiente

    Entre os dias 5 e 10 de junho, o Inhotim promove a Semana do Meio Ambiente (SMA), que terá como ponto de partida as coleções de plantas nativas cultivadas e preservadas no Instituto, além da apresentação de boas práticas voltadas para a conservação da biodiversidade local e global. Entre outras atividades, a programação para o público inclui distribuição de mudas nativas, apresentação da Escola de Cordas Inhotim, visitas mediadas, experiências audiovisuais, jogos e rodas de conversa.

    Para 2018, a equipe técnica do Jardim Botânico Inhotim fez uma seleção inédita de plantas nativas de seu acervo, que serão utilizadas nas diversas atividades ofertadas ao público. Ao longo da programação, os participantes poderão levar para casa mudas de ipê-branco, palmeira-juçara e tamboril. Serão disponibilizadas 250 mudas produzidas no Viveiro Inhotim a partir de sementes das árvores matrizes que compõem o acervo botânico do Instituto.

    Para o diretor do Jardim Botânico, Lucas Sigefredo, a Semana do Meio Ambiente, realizada anualmente, reafirma o compromisso do Inhotim com a conservação da biodiversidade: “O evento é um convite ao público para se engajar nas questões ambientais. Entender o papel das plantas nativas é fundamental no processo de sensibilização e de engajamento individual e coletivo. Na medida em que as pessoas conhecem e se aproximam do meio que as circundam, elas atribuem valor e cuidam. Nesse contexto, o Inhotim é um importante espaço de troca, reflexão e inspiração”.

    Localizado na cidade de Brumadinho (MG), o Inhotim está inserido no bioma Mata Atlântica com encraves de Cerrado – dois biomas com alta riqueza biológica. Além das plantas exóticas (provenientes de fora da flora original local), o Instituto abriga um relevante acervo botânico com milhares de espécies nativas, incluindo plantas raras, endêmicas e ameaçadas de extinção. As espécies são usadas pela equipe do Jardim Botânico e pelo Educativo Inhotim para atividades de educação, pesquisa, conservação e lazer.

    Confira a programação completa da SMA:

    Visita mediada: Nos jardins do Inhotim, paisagismo e coleção botânica

    Os admiradores da natureza vão conhecer de maneira mais aprofundada as principais famílias botânicas do Inhotim, com foco nas plantas nativas, incluindo as raras, endêmicas e as ameaçadas de extinção. O convite é à experimentação dos singulares jardins do Instituto de maneira exclusiva, percorrendo também espaços que não são abertos à visitação livre, como o epifitário e a estufa equatorial. Os participantes e mediador vão conversar sobre paisagismo, história dos espaços botânicos do Inhotim, manutenção dos jardins, produção de plantas e a aplicabilidade de algumas técnicas no dia a dia. A visita é mediada pelo engenheiro agrônomo do Inhotim, Juliano Borin, e possui duração de 2h30.

    Quando: 09/06 (sábado)
    Horário: 14h às 16h30
    Local: Saída da Recepção
    Vagas limitadas: 25 vagas – R$ 40 por pessoa.
    Inscrição prévia: Na Recepção, no dia da atividade, entre 9h30 e 14h.

    Ativação do Jardim Temático Veredas
    Nesta atividade, os visitantes são convidados a participarem de uma ação em um dos sete jardins temáticos do Instituto, o Jardim Veredas. No espaço, é possível conhecer espécies típicas desta fitofisionomia do Cerrado, as Veredas, como a Mauritia flexuosa, popularmente conhecida como buriti, que é uma das maiores palmeiras brasileiras existentes. Referência na literatura brasileira, as Veredas também são importantes pelas relações socioambientais estabelecidas com as comunidades. As populações locais se refugiam nesses espaços de atalho e abrigo da fauna e fazem uso dos recursos naturais presentes. A proposta educativa é, então, a criação de um “atalho” para que os visitantes ativem suas percepções sensoriais, integrando-se aos elementos sutis que se fazem presentes nesse jardim do Inhotim.

    Quando: 05, 07, 12 e 14 de junho (terças e quintas)
    Horário: 14h às 16h
    Local: Jardim Temático Veredas (J5, no mapa)
    Público: livre

    Visita Temática – Syagrus
    O Jardim Botânico Inhotim tem uma importante coleção composta por grande variedade de plantas brasileiras, além de espécies originárias dos cinco continentes. A Visita Temática convida o público a conhecer a expressiva coleção das palmeiras cultivadas e salvaguardadas do gênero Syagrus, que é bastante representativo dentro do acervo botânico do Inhotim, incluindo algumas espécies presentes na lista vermelha de extinção. A maioria das espécies encontra-se sob ameaça pela expansão da agricultura, especialmente as de pequeno porte, comuns nos cerrados.

    Quando: 06 a 29 de junho (quartas, sábados, domingos e feriados)
    Horário: 10h30
    Local: Saída da Recepção
    Público: livre, 25 vagas, inscrição no local a partir das 10h.

    Estação Educativa para Visitantes – Experiência Macro-Micro
    Produzida originalmente para a exposição internacional “Inhotim: at the Crossroads of Glocal Change” (Inhotim: na encruzilhada da mudança glocal), realizada pelo Inhotim em Washington (EUA), em 2017, este trabalho será disponibilizado na Estação Educativa. O jogo de aproximação do macro ao micro revela novas texturas, cores e formas. Propõe uma reflexão sobre o outro, sobre o todo e sobre a vastíssima diversidade do nosso planeta. Uma trilha sonora produzida pelo grupo O Grivo acompanha a atividade. Além desse trabalho, estarão em exposição lâminas de espécies nativas do Inhotim, algumas ameaçadas de extinção, disponibilizadas pelo Jardim Botânico, para observação em microscópio. Curiosidades sobre a evolução das espécies botânicas e suas estruturas adaptativas serão abordadas. Os visitantes também serão convidados a interagir no mural de experiências presente na Estação, respondendo à pergunta: “qual seu papel individual e coletivo para a conservação da biodiversidade?”.

    Quando: 05 a 09 de junho (terça a sábado)
    Horário: 10h às 16h (terça a sexta) e 10h às 17h (sábado)
    Local: Centro de Educação e Cultura Burle Marx
    Público: livre

    Experiência de realidade virtual – Inhotim 360°
    Produzida originalmente para a exposição internacional “Inhotim: at the Crossroads of Glocal Change”, a experiência “Inhotim 360°” será remontada na Biblioteca do Inhotim. Experimentar as paisagens de Inhotim é um convite ao deleite dos sentidos. O exercício da percepção através de um passeio virtual em 360 graus pelos jardins e remanescentes de mata nativa nos incita a buscarmos mais conhecimento e intimidade com a natureza que nos cerca e nos compõe. Uma trilha sonora produzida pelo grupo O Grivo acompanha a atividade. Equipamentos utilizados: óculos de realidade virtual e fones de ouvido sem fio.

    Quando: 01 a 30 de junho (de terça a sábado)
    Horário: 09h30 às 16h30
    Local: Biblioteca Inhotim
    Público: livre

    Apresentação Escola de Cordas Inhotim
    Criada em 2012, a Escola de Cordas Inhotim oferece a oportunidade de aprendizado musical em instrumentos de corda – violino, viola de arco, violoncelo e contrabaixo acústico. Sua realização tem evidenciado a vocação musical de Brumadinho e ampliado o leque de experiências e referências musicais dos alunos, que têm entre 10 e 18 anos. Na SMA, sob regência do maestro César Timóteo, os alunos apresentarão um repertório variado, incluindo composições de cunho didático e pedagógico trabalhadas durante o processo de formação musical dos alunos. A Escola de Cordas tem o patrocínio exclusivo da Vale por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

    Quando: 08 de junho (sexta-feira)
    Horário: 15h
    Local: Centro de Educação e Cultura Burle Marx
    Público: livre

    Acolhimento especial Inhotim para Todxs
    O Inhotim para Todxs é um projeto de democratização do acesso que ocorre desde 2011 e já atendeu a mais de 83 mil pessoas. Grupos que desenvolvem projetos sociais têm isenção da entrada e um acolhimento realizado pela equipe do Educativo. Durante a SMA, no momento do acolhimento, os participantes do projeto poderão conhecer mais sobre a árvore tamboril, uma espécie nativa presente nos jardins do Inhotim e também refletir sobre a importância dos jardins botânicos para a conservação das espécies nativas.

    Quando: 05 a 10 de junho (terça a domingo)
    Horário: 9h30 ou 14h
    Local: debaixo da árvore tamboril (B1, no mapa)
    Público: participantes do projeto Inhotim para Todxs

    Jogo Memorizando a Biodiversidade
    No jogo “Memorizando a Biodiversidade”, a fauna e a flora do Inhotim são os personagens principais. Crianças e adultos serão convidados a conversar sobre espécies botânicas que são destaque no paisagismo dos jardins do Inhotim, além de exemplares da Mata Atlântica e Cerrado, pertencentes à RPPN Inhotim. A fauna silvestre e doméstica também será ponto de partida para as discussões.

    Quando: 05 a 10 de junho (terça a domingo)
    Horário: 9h30 às 16h30 (de terça à sexta-feira) e 9h30 às 17h30 (aos sábados, domingos e feriados) Local: Recepção do Viveiro Inhotim
    Público: livre

    Biblioteca: Centro de Referências
    Em consonância com a SMA em Inhotim, a Biblioteca preparou o Centro de Referências para a realização de pesquisas e consultas acerca dos temas e famílias botânicas trabalhadas nas programações da semana. Visitantes, pesquisadores e colaboradores do Instituto podem ter acesso aos materiais. Dentre as temáticas em destaque, encontram-se bibliografias sobre os dois biomas desta região de Minas Gerais, Mata Atlântica e Cerrado; e também livros sobre algumas das principais coleções botânicas do Instituto, sendo elas as aráceas, arecaceaes (palmeiras) e orquídeas.

    Quando: 01 a 30 de junho (de terça a sábado)
    Horário: 09h30 às 16h30
    Local: Biblioteca Inhotim
    Público: livre

    Estação Educativa Itinerante
    A Estação Educativa Itinerante é uma plataforma educativa que visa a compartilhar as experiências de visitação entre os visitantes e educadores do Instituto por meio da ocupação dos espaços do Inhotim. Além de contribuir nos trajetos de visitação do público livre, as Estações promovem uma pesquisa de materiais presentes nos acervos em conjunto com as práticas pedagógicas da educação. Durante a programação da SMA, a Estação Itinerante disponibiliza um acervo bibliográfico sobre plantas nativas. Participe e conheça curiosidades sobre algumas espécies nativas presentes no Inhotim.

    Quando: 06 de junho (quarta-feira)
    Horário: 10h às 16h
    Local: Centro de Educação e Cultura Burle Marx
    Público: livre

    Venha participar da Semana do Meio Ambiente!
    Para comprar seu ingresso online e evitar filas, clique aqui! 

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    11 de outubro de 2017

    Redação Inhotim


    artedia das criançaseducaçãoexperiênciaferiadovisita

    Leitura: 4 min

    Dia das Crianças no Inhotim

    Dia das Crianças no Inhotim

    O tão esperado feriado de outubro está chegando, e o Educativo Inhotim preparou atividades especiais para comemorar o Dia das Crianças. Durante o recesso, o Instituto funciona das 9h30 às 17h30, com entrada a R$ 44 (inteira). Lembramos que os pequenos de até seis anos não pagam entrada.

    Na Estação Jardim – Descobertas Sensoriais, pequeninas e pequeninos e os adultos acompanhantes são estimulados a descobrir todos os sentidos brincando com diferentes texturas, cores e sons! A atividade acontece a partir das 10h do dia 12/10, no jardim próximo à Galeria Mata (ponto G1 no mapa).

    Já na Estação Jardim – Brincadeiras de Quintal, a diversão acontece com o resgate de brincadeiras tradicionais brasileiras. Brincar de amarelinha, cantar ciranda e pular corda são algumas das atividades para toda a família que rolam a partir das 14h30 do dia 12/10, no jardim próximo à obra Magic Square (ponto A12 no mapa).

    E também tem atrações que acontecem durante todo o mês de outubro!
    É o caso do Jogo Memorizando a Biodiversidade, que convida crianças e adultos a conversar sobre espécies botânicas que são destaques no paisagismo dos jardins do Inhotim. Uma ótima oportunidade para conhecer mais sobre as faunas silvestre e doméstica e sobre os biomas Cerrado e Mata Atlântica. O jogo acontece das 10h às 16h de terça a sexta-feira e das 10h às 17h aos sábados, domingos e feriados de outubro, sempre na Estação Educativa para Visitantes.

    Para o restante da família, também são oferecidas atividades que propõem uma experiência mais completa entre os acervos do Parque. A Visita Temática Revelando Memórias resgata lembranças adormecidas a partir das experiências com os acervos artístico, botânico e histórico-cultural. A Visita Panorâmica explora várias possibilidades de percurso pelo Inhotim a partir da reflexão sobre o lugar e seus acervos. Além das visitas mediadas, a Biblioteca Inhotim e a Estação Educativa para Visitantes são espaços que você não pode deixar de conhecer na sua vinda ao Museu.

    Com a programação garantida, é hora de providenciar o seu ingresso online!

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    Página 1 de 1012345...10...Última »