• EN
  • 27 de janeiro de 2016

    Redação Inhotim


    arteeducaçãovisita

    Leitura: 4 min

    Cinco passos para vir curtir o carnaval no Inhotim

    Cinco passos para vir curtir o carnaval no Inhotim

    O Carnaval está chegando e o Inhotim tem uma notícia boa para você: o Parque vai estar aberto durante todo o feriado, de 6 a 10 de fevereiro.  É uma ótima chance para conhecer o Instituto por inteiro e apreciar o acervo artístico cercado pelo Jardim Botânico Inhotim. Confira o passo a passo para planejar sua viagem.

    1 – Como chegar: o Inhotim está a cerca de 60 km de BH. O acesso ao Parque pode ser feito de carro, pelo ônibus da Saritur ou pelas vans que saem de BH, em frente à loja Inhotim Box, na Savassi.
    2- Ingressos:  ospreços, no sábado e no domingo, são R$ 40 a inteira. Na segunda e na terça valem R$ 25. Já na quarta, a entrada será gratuita. Se quiser ganhar ainda mais tempo para aproveitar os dias de folga, compre osingressos online e evite filas.
    3- Onde se hospedar: para quem vem de longe, o Inhotim oferece algumas opções de hospedagem na capital mineira e em Brumadinho. A Oturi – Operadora de Turismo e Eventos do Inhotim – pode montar sua viagem incluindo também transporte e alimentação. Ligue para (31) 3571-9796 ou envie um e-mail para reservas@oturi.com.br.
    4- Programação: nos dias de recesso, você pode participar das visitas temáticas que percorrem o eixo amarelo do mapa abordando temas de arte e botânica.  Neste mês, o roteiro inclui espaços como a Galeria True Rouge, do artista Tunga, e importantes espécies do Jardim Botânico do Instituto, como a árvore do Tamboril. Aproveite que você vai estar perto de um dos símbolos do Parque e participe também da Estação Folia, onde educadores do Instituto estarão ensinando quem quiser fazer seus próprios adereços de carnaval: máscaras, pinturas e estandartes.

    carnaval face

    5- Dicas: ao final do seu roteiro,  dedique alguns minutos para ir até a Loja Inhotim, localizada na recepção do Instituto, e conheça os produtos inspirados nos acervos do Parque. Aproveite para ver os novos lançamentos,  como a Bolsa Magic Square, estampadas com as cores e formas do artista Helio Oiticica. Vale lembrar quem for visitar o Parque mais de um dia durante o feriado prolongado que o preço de duas entradas já faz compensar o apoio ao programa Amigos do Inhotim. Confira os benefícios de acordo com cada categoria. 

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    23 de outubro de 2015

    Redação Inhotim


    bicicletaDia Pessoas Pelo Climaeducaçãomobilidade urbanaprogramação

    Leitura: 4 min

    Como é a sua relação com BH?

    pessoaspeloclima_post_blog

    No Dia Pessoas Pelo Clima, o Inhotim e a IBM atuam como porta-vozes de uma causa: as pessoas, individualmente, podem adotar comportamentos que contribuem para minimizar o impacto negativo da atividade humana nos recursos naturais do planeta. Com esse propósito, a Praça Floriano Peixoto foi escolhida para receber diversas atividades educativas, além de servir como ponto de partida e chegada para um passeio ciclístico pela cidade.

    Toda programação idealizada para o Dia Pessoas Pelo Clima tem como objetivo sensibilizar o público sobre seu modo de vida e sua relação com a cidade, pois a mobilidade urbana é mais do que simplesmente o transporte urbano, ou seja, mais do que o conjunto de serviços e meio de deslocamento de pessoas e bens. É o resultado da interação entre os deslocamentos de pessoas e bens com a cidade, estimulando reflexões sobre consumo, mobilidade urbana e sustentabilidade.

    Confira a programação completa:

    Tenda principal (Anfiteatro da praça)

    Bate-papo: segurança e visibilidade da ciclista no trânsito com a Bike Anjo. Horário: 8h30 às 9h.

    Oficina de expressão corporal mediada por Gabriela Gasparotto, educadora do Instituto Inhotim, Bacharela e Licenciada em Dança pela Universidade Federal de Viçosa. Horário: 9h às 9h30.

    Bate-papo: o uso da bicicleta como mudança de hábito em prol do meio ambiente com Carlos Mourthe. Biólogo, Mestre em Ecologia e Doutorando em Ciência e Cultura na História pela UFMG, Pesquisador de Pensamento Sistêmico e Sustentabilidade. Horário: 11h às 12h.

    Estação | Consumo consciente, jogos e brincadeiras

    Estação mediada pela equipe do Educativo Inhotim com intuito de resgatar jogos e brincadeiras que fizeram parte do cotidiano de várias gerações do passado. Tragam seus filhos. Horário: 9h às 13h:
    09:00hs – Contação de Histórias
    10:00hs – Acerte o Furo
    11:00hs – Vai e Vem
    12:00hs – Bilboquê
    OBS: 25 vagas para cada horário, inscrições por ordem de chegada.

    Ações Bike Anjo

    Mini-oficina ciclomecânica com a Bike Anjo Horário: 8h às 13h.
    Edição especial com a Bike Anjo: oportunidade para você que quer aprender a andar de bicicleta. Horário: 8h às 13h.
    Passeio ciclístico nas redondezas da Praça Floriano Peixoto. Horário: 9h30 às 11h.

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    22 de outubro de 2015

    Redação Inhotim


    artecomunidadeeducação

    Leitura: 4 min

    Laboratório Inhotim rumo à Porto Alegre

    Ismael Monticelli (Porto Alegre, RS, 1987) Limanora da série Mundo Fulgurante (2014) Crédito: Del Re; viva Foto

    Ismael Monticelli (Porto Alegre, RS, 1987)
    Limanora da série Mundo Fulgurante (2014)
    Crédito: Del Re; viva Foto

    Ansiosos por mais uma aventura, os jovens do Laboratório Inhotim estão de malas prontas para um destino certo: Porto Alegre. Como parte das atividades do programa de formação mais antigo do Instituto, nove integrantes seguem rumo à 10ª Bienal Mercosul para viver de perto a mostra de arte contemporânea que vai reunir cerca de 700 obras de 402 artistas de países latinos. “A viagem representa para eles uma oportunidade de entender o funcionamento de outra instituição, outro processo curatorial, outro espaço expositivo, colaborando para a construção de um entendimento mais completo sobre o mercado da arte, o papel dos artistas e desse universo”, explica Lilia Dantas, supervisora de arte e educação do Instituto.

    O Laboratório Inhotim  é um programa de formação por meio da arte voltado para alunos de 12 a 16 anos da rede pública de Brumadinho. O objetivo do projeto é desenvolver um olhar crítico e reflexivo não apenas para o universo artístico, mas para o dia a dia de cada um, fazendo dos jovens, agentes ativos em suas comunidades.  Todo ano, o grupo viaja a diferentes centros artísticos como parte das atividades desenvolvidas no Instituto, já tendo passado por Nova York, Buenos Aires e São Paulo.

    Durante todo o ano, jovens desenvolvem trabalhos e participam de oficinas no Inhotim.

    Durante todo o ano, jovens desenvolvem trabalhos e participam de oficinas no Inhotim.

    Os viajantes são jovens que já estão no segundo ano do projeto e que viveram um período de intensas experimentações dentro do Parque. Em 2015, eles foram inseridos no universo de pesquisa em arte contemporânea e, em função da Bienal, foram estimulados a escolher artistas latinos com obras expostas no Inhotim para desenvolver esse trabalho. Nesta lista, temos Jorge Macchi, Tunga, Luiz Zerbini, Victor Grippo, Claudia Andujar, Carlos Garaicoa e muitos outros.

    O roteiro da viagem inclui a visita dos espaços da Bienal no Centro Histórico de Porto Alegre, na Usina do Gasômetro e no Instituto Ling, além da visita mediada oferecida pelo educativo da Fundação Iberê Camargo.

    Os próximos dias prometem ser inesquecíveis para esse grupo cheio de curiosidade. De sexta a domingo, postaremos um diário com o passo a passo dessa viagem. Fique de olho e nos acompanhe!

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    28 de setembro de 2015

    Redação Inhotim


    artebrumadinhocomunidadeeducaçãoinhotimmeio ambientemúsicaprogramação cultural

    Leitura: 4 min

    Uma praça que nunca mais será a mesma

    Uma praça que nunca mais será a mesma

    O céu azul e uma praça iluminada pelo sol em pleno sábado. Existe um motivo melhor para aproveitar o dia ao ar livre? A Praça de Aranha foi o ponto de encontro dos moradores do município de Brumadinho em uma tarde ocupada por cores, música, oficinas e muita alegria, no Festival de Rua Korocupá. O evento foi realizado pelos participantes dos projetos sociais do Instituto – Jovens Agentes Ambientais e Laboratório Inhotim – que vêm trabalhando as ideias para usar o espaço público de forma criativa há alguns meses. O resultado não poderia ter sido melhor: uma praça cheia de gente de todas as idades.

    Desde o início do ano, os jovens têm se preparado para promover o festival, pesquisando diferentes formas de intervir na cidade dando novo uso a espaços não utilizados. Eles observaram que a Praça de Aranha precisava de mais bancos. Por isso, produziram junto a marcenaria do Inhotim os novos móveis que foram estreados no dia do evento. Para incentivar a convivência entre vizinhos e moradores, os jovens tiveram a ideia de construir um forno de barro para assar biscoitos durante o festival. Além disso, eles prepararam oficinas que ensinaram técnicas para desenvolver tintas e produtos, como esfoliante de pele e protetor labial, a partir de elementos da natureza.

    Quem passou pela Praça de Aranha, ainda pode participar da Feira Grátis da Gratidão, onde roupas e sapatos eram doados ou trocados, e pôde ver a exposição de fotos de moradores feita pelos integrantes dos projetos. Os cliques foram resultado de uma pesquisa realizada pelo grupo que, com o objetivo de conhecer melhor os arredores da praça, entrevistaram a vizinhança e registraram cada personagem.

    Em uma das oficinas, os moradores aprenderam como fazer tinta com ingredientes naturais e se divertiram testando os produtos.  Foto: William Gomes

    Em uma das oficinas, os moradores aprenderam como fazer tinta com ingredientes naturais e se divertiram testando os produtos. Foto: William Gomes

    A música tocou do início ao fim com artistas locais que foram prestigiar o evento, com samba, arrocha, coral de trombones e tubas e ainda a participação da Oficina de Percussão Inhotim. O final da tarde foi com a chuva de pó colorido ainda sob a luz do sol das 17h, que ainda aquecia o lugar. O Festival Korocupá terminou com a certeza de que conviver em harmonia e ocupar o espaço público com carinho e criatividade são as melhores formas de se aproveitar a própria cidade. O que ficou deste dia foram roupas coloridas e bancos novos para uma praça que nunca mais será a mesma.

    A Praça de Aranha foi ocupada com atividades que levaram alegria e diversão aos moradores do distrito. Foto: William Gomes

    A Praça de Aranha foi ocupada com atividades que levaram alegria e diversão aos moradores do distrito. Foto: William Gomes

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    22 de setembro de 2015

    Lilia Dantas

    Supervisora de Arte e Educação do Inhotim


    artebrumadinhocomunidadeeducaçãomúsicaprogramação cultural

    Leitura: 4 min

    Da ideia à Praça

    Da ideia à Praça

    Que caminho uma ideia faz até se transformar em realidade? Tentando responder a essa pergunta, apenas consigo afirmar que entre um ponto e outro quase nunca há uma linha reta. Quando um desejo surge e é compartilhado, começa a tomar forma e crescer. Ao final, já superou em muito o desejo que lhe deu origem e lançou novos impulsos para o futuro. O processo, assim, recomeça.

    O Festival de Rua nasceu assim, em uma troca de ideias. Em 2014 teve a sua primeira edição realizada e se chamava Laboratório Mambembe. Convidou artistas de Brumadinho para se apresentarem, abriu espaço para uma tradicional feira de trocas e transformou a praça Antônio Carlos Cambraia, no Canto do Rio, em um espaço por onde crianças brincavam livremente.

    Após a experiência do Festival Laboratório Mambembe, o nosso desejo de estar na rua e de educar para a convivência e a colaboração cresceu ainda mais. Percebemos que precisamos provocar situações para que os jovens participantes dos nossos projetos exercitem seu protagonismo, se percebam responsáveis e decisivos na preparação de algo que é um presente para a comunidade.

    E assim nasceu o Festival Korocupá, palavra inventada que, na sua semântica do absurdo, é feita de duas outras fundamentais para essa festa: Cor + Ocupação.  Desde o início de 2015, os projetos Laboratório Inhotim e Jovens Agentes Ambientais têm se preparado para promover o festival. Para isso, pesquisaram e perceberam o que significa intervir na cidade, lançar luz sobre temas pouco discutidos ou mesmo dar novo uso a espaços subutilizados.

    Esses jovens decidiram que a praça do Aranha, local que receberá o Festival Korocupá, precisava de mais bancos. Foi preciso então visitar a Marcenaria do Inhotim e o mestre Carlão para que aprendessem a construir bancos de madeira. Decidiram também que queriam construir um tradicional forno de barro na praça para que pudessem assar biscoitos durante o festival e esse desejo foi dos mais desafiadores: precisamos descobrir como construir um forno, encontrar alguém que soubesse nos ensinar a fazer (obrigada, Sr. Milton!), encontrar os materiais e, finalmente, construí-lo. O forno já foi feito, e está lá no Aranha, em processo de secagem, esperando o sábado chegar.

    Jovens do Laboratório Inhotim construíram bancos de madeira com as próprias mãos para serem colocados na Praça de Aranha, onde o Festival de Rua Korocupá acontece. Foto: William Gomes.

    Jovens do Laboratório Inhotim construíram bancos de madeira com as próprias mãos para serem colocados na Praça de Aranha, onde o Festival de Rua Korocupá acontece. Foto: William Gomes.

    As ideias que se tornarão realidade no dia 26 são muitas. Todas passaram por diferentes caminhos até se concretizarem, mas todas foram pensadas pelos nossos alunos, para a comunidade do Aranha e quem mais vier passar o dia conosco. Você é nosso convidado!

    Festival de Rua Korocupá
    Onde: Praça de Aranha – Município de Brumadinho
    Quando: sábado 26 de setembro, às 13h.

    Confira a programação clicando aqui. 

    comente

    • Twitter
    • Facebook
    • Google +
    Página 4 de 11« Primeira...23456...10...Última »