Leitura: 5 min

Semana da Leitura: resgatamos oito curiosidades sobre a Biblioteca Inhotim

Semana da Leitura: resgatamos oito curiosidades sobre a Biblioteca Inhotim

Ler é uma forma de conhecer o mundo. A leitura aguça a curiosidade, expande o conhecimento, exercita a atenção e a imaginação, aproxima as pessoas de outras realidades e inspira novas vontades. Na Biblioteca Inhotim, localizada no Centro de Educação e Cultura Burle Marx, milhares de livros estão disponíveis para leitura e consultas de visitantes, funcionários e funcionárias e jovens integrantes dos projetos educativos do Instituto. Quem entrar receberá o acolhimento necessário para se aventurar entre as estantes, descobrindo e se surpreendendo com os conteúdos sobre arte e meio ambiente que as prateleiras guardam. Para celebrar a Semana da Leitura e fazer com que você se sinta ainda mais à vontade por aqui, entendendo a importância desse lugar, listamos algumas curiosidades sobre a Biblioteca Inhotim:

1- A Biblioteca Inhotim atualmente é um espaço de guarda e conservação de um acervo especializado em Arte Contemporânea, Botânica, Educação e áreas correlatas. O ambiente funciona como espaço de trabalho para o educativo e para pesquisa e lazer para demais funcionários, funcionárias, visitantes e integrantes dos programas educativos do Instituto. No espaço, já ocorreram filmagens, entrevistas, conversas, formações e até exposições.

2- A primeira Biblioteca do Inhotim ficava localizada onde atualmente está a Galeria Mata. Em 2009, o espaço foi transferido para seu local atual, com a construção do Centro de Educação e Cultura Burle Marx.

3- O prédio do Centro de Educação e Cultura Burle Marx, onde a Biblioteca Inhotim está atualmente, é uma arquitetura contemporânea brasileira, projeto do escritório Arquitetos Associados, e já ganhou importantes prêmios como o Prêmio das Américas Mies Crown Hall (MCHAP), do Instituto de Tecnologia de Illinois, nos Estados Unidos, e o “Edifícios Institucionais”, do 3º prêmio O Melhor da Arquitetura, da revista Arquitetura & Construção. Também foi indicado ao 9º Prêmio Jovens Arquitetos 2009, do IAB SP e também à 12ª premiação de arquitetura IAB MG, em 2010.

4-  A Biblioteca recebeu uma grande coleção de livros sobre paisagismo e temas correlatos da designer Cookie Richers. Curiosamente ela era esposa do famoso dono do estúdio de dublagens de filmes brasileiros de mesmo nome Herbert Richers.

5- O primeiro livro a ser cadastrado no sistema da Biblioteca foi “Teorias da arte”, de Anne Cauquelin.

6- Entre os exemplares mais raros que existem no acervo literário do Inhotim, estão dois livros da artista Claudia Andujar. Em “Mitopoemas Yanomami”,  a fotógrafa e ativista conseguiu, com a ajuda do missionário Carlos Zacquini, gravar e traduzir as descrições de desenhos feitos pela tribo amazônica retratando seus costumes. O livro é uma compilação de imagem e texto que apresenta a mitologia e a visualidade dos Yanomami. Já no livro “Amazônia”, Andujar segue uma narrativa que vai do macro ao micro, começando com as imagens aéreas até chegar em detalhes de cenários e dos corpos dos indígenas. Os dois exemplares saíram da Biblioteca do Inhotim e foram colocados na própria Galeria da artista.

7- Os 10 livros mais emprestados da Biblioteca Inhotim até hoje foram “Através: Inhotim”, de Adriano Pedrosa e Rodrigo Moura; “Barrocos de Lírios”, de Tunga; “Encontros“, de Cildo Meireles; “Freud”, da coleção Os Pensadores; “CC, Programa in Progress”, de Hélio Oiticica e Neville d’Almeida; “Guia de plantas tropicais: plantas ornamentais, plantas úteis, frutos exóticos”, de Andreas Bartels; “Primavera silenciosa”, de Rachel Carson, e “Pedagogia da autonomia:  saberes necessários à prática educativa”, de Paulo Freire.

8- Atualmente, a Biblioteca abriga um total de 6.447 títulos.

Quer conhecer de perto? Visite a Biblioteca no Centro de Educação e Cultura Burle Marx e gaste o tempo que precisar entre os livros do acervo! O espaço funciona de terça a sábado, e os horários são das 9h30 às 16h30 de terça a sexta-feira, e das 9h30 às 17h30 aos sábados e feriados.

*Este conteúdo foi escrito com a colaboração de Joice Silva, Bibliotecária do Inhotim.



voltar
  • Twitter
  • Facebook
  • Google +