Leitura: 5 min

Minimalista aposta em simplicidade e inovação para o Inhotim Noite Aberta

Minimalista aposta em simplicidade e inovação para o Inhotim Noite Aberta

O nome do projeto solo do mineiro Thales Silva, 32 anos, já diz muito sobre a música em que ele acredita: Minimalista. “Os discos que eu mais gosto são os que têm menos elementos. São aqueles em que a instrumentação não ultrapassa o essencial, deixando a canção prevalecer. Tentei passar isso para um conceito geral da minha banda”, explica. No dia 30 de setembro, Minimalista é uma das atrações do Inhotim Noite Aberta, que vai contar com a participação de Lucas Santtana. O evento também terá a presença de Thaís Gulin convidando Flávio Renegado, além de abrir quatro galerias para visitação e contar com um espaço gastronômico especial realizado pela Amadoria Gastrô no Largo das Orquídeas. “Tocar no Inhotim é estar rodeado de outras formas criativas e de outras expressões”, diz Thales a uma semana do show.

As músicas calmas de “Banzo”, último CD de Minimalista, lançado em março deste ano, traduzem a sensação de “mergulho para dentro” que o músico propõe. “Comecei a compor as músicas que entraram nele durante uma viagem a Caraíva (Bahia). O silêncio e a calma do lugar me permitiram levar essa solidão, esse vazio, para a minha música”, conta. Para o show no Inhotim, Thales garante um repertório variado, misturando “Banzo” a outras criações mais antigas, como canções de A Fase Rosa, sua outra banda. “Eu vou levar músicas que têm uma comunicação forte com a percussão brasileira, com a música negra. Um show fluido”, garante.

Thales conta que a ideia em trazer Lucas Santtana para somar ao show veio da oportunidade em juntar duas pessoas com diversas afinidades. “Lucas é uma referência pra mim, por se comunicar muito bem com o público, por trabalhar a música brasileira com um olhar também nostálgico, mas tentando fazer ela seguir, se renovar, se fortalecer. Isso é importante demais: reinventar a música nacional, seja por meio dos timbres ou da própria composição”, explica.

Formado em turismo, Thales não conseguiu escapar da vocação que já era sinalizada desde os tempos de menino. “Cresci ouvindo discos dos anos 1970 na casa dos meus pais. Domingo de manhã já acordava com o som alto. Era Pink Floyd, Beatles, Chico, Gil e tudo mais”. Mais tarde, um primo começou a tocar violão e o emprestava para “fazer um barulho”. Com o tempo, o tal primo trouxe mais rock para a vida de Thales, que já adolescente se instigou a fazer aulas de violão e guitarra. Daí em diante, o compromisso foi só crescendo e, hoje, ele já soma quatro CDs – dois pelo projeto Minimalista e dois pela Fase Rosa. “Todos os meus trabalhos foram lançados de forma independente. Trabalhar dessa forma é assumir um papel um pouco mais austero, porque tudo depende da gente pra acontecer, mas também existe o lado bom de nos colocar diretamente em contato com o nosso público. Com o financiamento coletivo, por exemplo, as pessoas se envolveram no meu projeto, e isso dá outro tom ao lançamento e ao caminho que o CD vai percorrer a partir dali”, acredita.

Para Thales, voltar em Brumadinho, cidade onde o Inhotim está localizado, tem ainda um significado especial, por ser o lugar escolhido para finalizar o Banzo. “Foi onde tirei as fotos do CD e concluí o disco, justamente por me trazer essa sensação de cidade de interior, onde é possível encontrar a simplicidade, a tranquilidade e o vazio que nos faz pensar um pouquinho mais nas nossas questões.”

Programação
17h30: show de Minimalista (BH), com participação especial de Lucas Santtana (BA)
19h: show de Thaís Gulin (PR), com participação especial do Flávio Renegado (MG)
16h às 21h30: espaço gastronômico realizado pela Amadoria no Largo das Orquídeas
17h30 às 21h30: visita noturna às galerias Praça, Cildo Meireles, Rivane Neuenschwander e Fonte, com mediação do Educativo Inhotim.

Clique aqui para comprar o seu ingresso!



voltar
  • Twitter
  • Facebook
  • Google +