Leitura: 3 min

Dias que parecem não passar

Dias  que parecem não passar

Inhotim até logo

Inhotim o de antes de conhecê-lo

lá ficou

atrás

naquelas informações fragmentadas

e

naquelas imagens de

ilustrações em cores

O outro Inhotim

o vivido em cinco dias

está aqui em mim

com sua força tranquila

com a presença

dos seus dias

que parecem não passar

e ficam gravados.

Conjugação

natureza-arte

arte-natureza

Mas a gente

não se engana

essa

natureza é arte

Com que sabedoria se conseguiu fazer

que aquela arte ali

não fosse fagocitada

por aqueles verdes múltiplos

aspirando o céu.

E as ressonâncias

dessa soberba natureza

ao entrar nos pavilhões

tem um eco naquilo vivido neles

transportando-se

em um novo eco para fora.

E esse ir e vir vai tecendo um

laço harmonioso

criando um estado mágico

que parece fora do mundo

mas com a realidade no fundo.

Natureza-arte-púlico

público agente vinculador

e

nós somos esse público

menino, jovem, maduro

destinatário único

recriando um mundo

E nesse caminhar por Inhotim

transmite uma alegria de vida

que vem da relação ativa com o que

está recebendo.

Lentamente

com gula

a gente vira

cidadão do Inhotim

cidadão incondicional

Tantas coisas vividas com um

espírito calmo mas de maneira

acelerada em que os detalhes

se telescopeiam

se metamorfoseiam

e passam

e passam de novo na gente

trazendo sensações pequenas

intensas

que reconstituem

um todo em movimento

sem ser percebido em sua totalidade

aquilo vivido

nos faz sentir que um todo está ali

que flutua na nossa frente

que se fixa na gente

com aquilo visto pelos nossos olhos

com aquilo descoberto pelos nossos pés

com o esforço alegre de amanhecer

em alta velocidade

múltiplas facetas do todo.

Ordenações dentro dos pavilhões

ordenações naquilo iluminado pelo sol.

Sem nenhuma dúvida ordenação

de uma vontade com uma

sensibilidade à flor da pele

em uma mente única

e isso se chama:

criação!

Inhotim é uma criação inventada

produto de uma

capacidade visionária única

que trabalha aquilo que se chama

utopia

com aquilo que cresce a partir do chão

e esse criador tem um nome e um sobrenome:

Bernardo

Honrado por poder contribuir

com meu grãozinho de areia nessa criação!

Cachan, França

Junho, 2014



voltar
  • Twitter
  • Facebook
  • Google +