Leitura: 6 min

Acordo com Governo de Minas garantirá preservação de obras no Inhotim

Acordo com Governo de Minas garantirá preservação de obras no Inhotim

O Instituto Inhotim destaca que a assinatura do acordo com o Governo do Estado de Minas Gerais, segundo o qual 20 obras que estão em exposição no Museu passarão a ser de propriedade do estado, cumpre o papel de perenizar o projeto Inhotim, uma vez que os trabalhos não poderão ser vendidos ou retirados da Instituição. Para ter efeito, o termo ainda precisa ser homologado pela Justiça.

“Trabalhamos numa solução para perenizar o Inhotim, que expõe um acervo singular de relevantes artistas de vários países. A iniciativa mostra o reconhecimento da importância do Museu não só para o Estado de Minas Gerais, mas para todos os brasileiros e para a cena cultural e artística internacional”, afirma Antonio Grassi, diretor executivo do Inhotim.

As obras em questão são de propriedade do fundador do Inhotim, Bernardo Paz, e foram ofertadas ao governo para a quitação de dívida fiscal referente a outras empresas do empresário. Previsto em lei, o acordo faz parte do Programa Regularize, do governo estadual, que permite a devedores o pagamento de dívidas com obras de arte, imóveis, dinheiro, terrenos e outros bens.

Conforme os termos do acordo, assinado na última sexta-feira, caberá ao Inhotim a guarda, manutenção, conservação e preservação dos bens. Assim como Bernardo Paz fez com as obras de sua propriedade, o estado deverá ceder o patrimônio ao Museu a título de comodato. Além disso, o governo terá um representante no Conselho de Administração do Instituto.

O objetivo do acerto é assegurar a preservação do Inhotim – um dos principais centros de arte contemporânea e jardim botânico do mundo. Desde a sua abertura ao público, em 2006, cerca de 3 milhões de pessoas já visitaram o Museu, entre brasileiros e estrangeiros. Ao proporcionar uma experiência única, que integra arte e natureza, o Instituto tornou-se um dos destinos turísticos mais procurados de Minas Gerais.

Em seus 140 hectares de visitação, o Inhotim expõe um acervo de relevância internacional, com obras de importantes artistas brasileiros e estrangeiros exibidas de forma permanente. São 23 grandes galerias e outras 23 obras de grande escala distribuídas em jardins e uma bela paisagem. No campo botânico, o público tem a oportunidade de conhecer espécies de todos os continentes, que integram uma coleção de cerca de 4,5 mil plantas. Para além da estética, os acervos artístico e botânico são amplamente utilizados em projetos socioeducativos e ambientais do Inhotim que visam à promoção do desenvolvimento humano e à conservação da biodiversidade.

As outras obras em exposição no Inhotim continuam sendo de propriedade de Bernardo Paz, de galerias e de artistas e foram cedidas à Instituição em comodato. Os terrenos e edificações que compreendem a área de visitação foram doadas pelo empresário, em 2016, ao Instituto Inhotim.

O Inhotim é uma instituição privada sem fins lucrativos, reconhecida pelo governo como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip). Para realização de suas ações socioeducativas e manutenção de seus acervos botânico e artístico, o Instituto é mantido com recursos de doações de pessoas físicas e jurídicas, de maneira direta e incentivada, tudo com amparo na Lei Federal e Estadual de Incentivo à Cultura.

Conheça a lista das obras que serão transferidas ao estado de Minas Gerais:

Celacanto Provoca Maremoto (2004-2008) – Adriana Varejão
Carnívoras (2008) – Adriana Varejão
O Colecionador (2008) – Adriana Varejão
Linda do Rosário (2004) – Adriana Varejão
Gigante Dobrada (2001) – Amílcar de Castro
Através (1983-1989) – Cildo Meireles
Desvio para o Vermelho (1970-1996) – Cildo Meireles
Inmensa (1982-2002) – Cildo Meireles
Glove Trotter (1991) – Cildo Meireles
Beam Drop Inhotim (2008) – Chris Burden
Samson (1985) – Chris Burden
Beehive Bunker (2006) – Chris Burden
Bisected Triangle, Interior Curve (2002) – Dan Graham
Xadrez de Chão (2004-2007) – Delson Uchôa
Correnteza (1994-2007) – Delson Uchôa
Entre o Céu e a Terra (2007) – Delson Uchôa
Portal 1 (Realidades Mistas) (2006-2007) – Delson Uchôa
Neither (2004) – Doris Salcedo
Sonic Pavilion (2009) – Doug Aitken
De Lama Lâmina (2004) – Matthew Barney



voltar
  • Twitter
  • Facebook
  • Google +